sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Carta de intenções

De: pais santistas
Para: seus respectivos filhos

Filho, o motivo que me leva a essa conversa não me agrada, mas é inevitável. Preferia não ter que falar nada, mas entendo sua indecisão. Poderia ter, desde seu nascimento, buscado influenciá-lo e registrar todo esse processo, para intimidá-lo, mas não o fiz. Não seria correto, pois não fizeram isso comigo. Essas coisas têm de acontecer de maneira natural, mas antes preciso te dizer algumas coisas. Como um jornalista disse certa vez, "o pai que não faz time do filho é, de certa forma, um fracassado" (em tempo: o jornalista se chama Flavio Gomes, é torcedor da Portuguesa, assim como seus 2 filhos). Não sei se o que tenho a te oferecer é satisfatório, mas ainda assim vou tentar. O Santos não ganha títulos todo ano, não é "imortal", não tem a maior torcida do país, não é "um bando de loucos", não é "campeão de tudo", nem mesmo é da cidade onde você mora...mas, em quase um século de existência até agora, ainda conseguimos ostentar algumas exclusividades: somos o maior campeão nacional, o primeiro brasileiro a conquistar o mundo, o melhor clube das Américas no século XX (estes 2 últimos ninguém nos tirará). Não ganhamos sempre, mas quando ganhamos...ah, como saboreamos nossos títulos, valorizamos cada um de verdade. Eu mesmo esperei 18 anos pelo primeiro e não hesitaria em esperar o dobro disso novamente. Nossa camisa representa a essência do futebol brasileiro, somos capazes de perder partidas e finais, mas ainda assim encher os olhos com a mais bela nostalgia de quem as vê. Não somos loucos nem torcedores doentes, porque loucura e doença é não torcer por esse time de tantas glórias. Não somos imortais porque nunca passamos pelo desgosto de sermos rebaixados, outro fato que poucos clubes "grandes" (eita palavrinha banalizada no futebol...) podem ostentar no Brasil. Sim, nossa casa é modesta, mas é um templo do futebol, palco de espetáculos memoráveis. Não somos campeões de tudo, mas tudo aquilo de que somos campeões foi merecido e desfrutado. Estamos longe de ser o melhor time do mundo, mas tivemos o melhor do mundo em nosso time, e isso não mudará jamais, é eterno, assim como aquele número 10 às costas de uma camisa branca sem patrocínios com o nosso distintivo à frente. Por fim, filho, tento minha última cartada: sabe aqueles tipos de histórias fantásticas que os avôs costumam contar aos netos, aquelas que parecem contos de fadas, com reis, princesas e bruxas? Pois então, meu filho, só posso te assegurar que todas as histórias fantásticas que você ouvir durante sua vida sobre o Santos Futebol Clube são verdadeiras. quando você estiver escutando e tentar imaginar em sua mente, por mais absurdo que algo possa parecer, realmente aconteceu...O Santos ajuda a escrever a história da humanidade (até guerra já parou), espero que você possa ajudar a escrever a história do nosso Peixe.

3 comentários:

Claudiana disse...

Que lindo Fadul!! Esse já é peixinho...rs Beijos

Wolf disse...

Devë ser duro ter que convencer alguem a torcer por um time com imagens em preto e branco do seculo passado. rsrsrsrs, mas beleza nao vou me meter nesse exercicio

Vanessa disse...

Huuuuuuuuum belo texto!